sexta-feira, 31 de agosto de 2012

A ganância de uns é a ruína de outros...


  A loucura que foi idealizada
por grupos poderosos - sem escrúpulos -
vendendo tudo a quem não tinha nada,
a fim de enriquecerem com os lucros

e o povo com a mente atordoada
comprou sonhos a crédito e com juros!
Comprou uma ilusão hipotecada,
vendeu a alma aos bancos por escudos...

Para agravar tudo veio o euro
tornar ainda mais caro o nosso pão
e a crise a crescer no desgoverno;

 a oprimir as gentes sem tostão...
Favorece o poder que tem dinheiro
e tira ao povo o tecto e o ganha-pão.

A: CamilaSB
 2012 

(imagem da web)

22 comentários:

  1. .

    .

    . esta é uma página acima de todas as expectativas . lembrou.me camões .

    .

    . sendo . tão assertiva . que dói .

    .

    . quando eu for grande . quero escrever assim . :) . ensina.me ? . :) .

    .

    .

    . agradeço a Sua presença . no . intemporal .

    .

    . e deixo.Lhe um beijo . simples.mente . por ser como é .

    .

    . obrigado .

    .

    .

    ResponderEliminar
  2. ... e assim ocorre em todos os cantos, Camila. Infelizmente! :( Boa semana, amiga.

    ResponderEliminar
  3. Verdades ditas em poemas,
    eu adorei, parabéns pelo belo
    post
    abraços
    Rita!!!

    ResponderEliminar
  4. Camila
    A ganância do homem não tem limites, e obviamente estão no poder os mais gananciosos, aqueles que não medem esforços para alcançar seus objetivos, atropelando quem ousar atravessar seus caminhos, e infelizmente quem sofrerá as consequências das suas ações somos nós, a natureza, o planeta. Um poema muito atual e verdadeiro, parabéns Camila, gosto muito de ler seus escritos, e receber você no meu cantinho uma grande alegria.Um grande abraço, e um ótimo domingo!

    ResponderEliminar
  5. é assim Camila, tanta verdade no seu poema!

    um beijo


    ResponderEliminar
  6. Pois sim, amiga!
    Foi isso que aconteceu.
    Mas não era isso que queríamos!

    Bjssss

    ResponderEliminar
  7. Sim, sim, o povo sempre é a vítima.
    Aqui no Brasil também o povo sempre foi vítima.
    Vivemos outros tempos, mas o capitalismo ainda
    está ganhando o jogo. Fico o povo à deriva...
    Sonhos não nos faltam.
    Esperanças não nos faltam.
    Mas ainda nos faltam tantas conquistas...

    Bom estar aqui compartilhando estes sentimentos.

    ResponderEliminar
  8. E assim começa outra escravatura, uma mais repelente que a outra. E com os sonhos e esperanças de que é feita a vida do Homem, cortam os ideais da alma Humana: sonhar para sorrir.
    Querida Camila, mais uma poetisa que me enche a alma!
    Admiro-a muito!
    Carinhoso abraço

    ResponderEliminar
  9. E o mundo não vive...Fica sem sonhos....
    Verdadeiro o poema...
    Obrigada pela visita
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  10. Muito obrigada pelo comentário, é sempre bom saber que alguém com mais experiência gosta do nosso trabalho :)
    Desde já, começo por dizer que também adoro o seu trabalho, é uma poeta incrível!
    Admiro imenso o que faz, e gostei mesmo muito.
    Parabéns! Beijinho.

    ResponderEliminar
  11. Camila, que maravilha! nunca tinha lido com tanto prazer verdades ditas em poemas!
    Parabéns poeta.
    Bjs

    ResponderEliminar
  12. Um soneto lindíssimo. Perfeito na musicalidade e na forma

    Esta é a triste realidade da nossa sociedade.
    Aparecem uns comediantes que tem poder de mentir parecendo falar verdade e vendem ao povo desgovernado muitas ilusões baratas que depois lhes saem caríssimas.

    Até quando continuaremos a permitir tantas mentiras e roubos que nos deixam a todos mais pobres a cada dia que passa ??????

    ResponderEliminar
  13. Love it! Yo creo que la situacion se pone dificil para el mundo entero, En Puerto Rico es igual, Saludos mi reinam Gracias por compartir, Sera un placer seguirte

    ResponderEliminar
  14. Um retrato muito fiel da triste realidade.

    beijinho

    ResponderEliminar
  15. Olá Camila,
    Bonito o teu blog.

    Verdades em poemas (haverá poesia sem verdade?), uma verdade triste, real e dramática.

    Camila - Os sonhos são sempre a crédito e com juros altos!

    Beijo

    ResponderEliminar
  16. Encontrei, há pouco, um amigo comum "resgatando" a censura de um livro, que considerei importantíssimo. Lendo os comentários, vi o seu, Camila e vim conhecê-la e encontrando, neste caderno, poemas "vividos e sentidos", da alma portuguesa, de ontem, de hoje, de sempre...

    Vou voltar! Um abraço,
    da Lúcia

    ResponderEliminar
  17. Minha querida

    Um poema que é um retrato fiel do nosso País...infelizmente uma triste realidade.
    Quero agradecer o apoio e carinho que me deixou...o plágio é também uma forma de parasitas.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  18. pura realidade.

    e assim se fez soneto.

    gostei!

    beij

    ResponderEliminar
  19. Magnífica poesia de intervenção.
    O teu soneto é magnífico.
    Gostei imenso, querida amiga Camila.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  20. Um soneto repleto de actualidade que retrata o momento que este país atravessa.

    Muito bem escrito e rimado

    Gostei imenso

    Bjgrande do Lago

    ResponderEliminar
  21. Assim a Poesia de Intervenção!
    Lindo, o teu Soneto. Preferiria não houvesse motivo para ele existir, mas o que sofremos já nos esmaga as Almas.
    Parabéns, Amiga.


    Beijos


    SOL

    ResponderEliminar